Durante os últimos meses, o mercado de televisores e monitores está a ser invadido por novas tecnologias, que estão substituindo os tradicionais CRT, o rei desde 1922.

Todos nós já ouvimos falar TFT, LCD, Plasma, OLED, ou ainda combinações de ambos, como TFT LCD, e muitas vezes sem saber como elas diferenciam umas das outras. Com este post pretendo explicar as vantagens e desvantagens dessas novas tecnologias.

TFT

Em primeiro lugar considero que devemos esclarece que TFT não é uma tecnologia de visualização em si, sendo que simplesmente se trata de um tipo especial de transistores que consegue melhorar a qualidade da imagem. Seu uso mais freqüente, juntamente com monitores LCD, conforme veremos na continuação abaixo.

LCD e TFT LCD
A tecnologia LCD utiliza moléculas de cristal líquido posicionadas entre as diferentes camadas, para que o monitor LCD fique colorido, cada um dos minúsculos pixels da tela são dividos em três partes uma para cada cor RGB (azul, verde e vermelho), sendo assim cada um dos pixels exibem uma distinta variação da gama de cores, que são a combinações entre 0% a 100% do azul, 0% a 100% do verde e 0% a 100% do vermelho. Sua principal vantagem, além do seu reduzido tamanho, tem um menor gasto de energia.
Quando estas telas usam transistores TFT então estamos falando de TFT LCDs, que são os modelos mais utilizados. Portanto, se alguém lhe falar de sua nova televisão TFT o de seu novo monitor TFT você já sabe que se trata de um TFT LCD.

Plasma
Ao contrário das telas de LCD, as telas de Plasma utiliza fósforos excitados com gases nobres para mostrar pixels e cor. Enquanto ele foi inventado em 1964, é o mais atrasado tecnologicamente em termos de nível de implantação, principalmente por isso tem o seu preço é o mais elevado (embora a diferença seja cada vez menor), no entanto a sua qualidade é muito melhor. Especificamente oferece maior ângulo de visão do que uma tela LCD, melhor contraste e mais realismos nas cores mostradas.

OLED
E por ultimo uma tecnologia que ainda tem muito poucos anos e que gradualmente, vamos estar vendo mais e mais: OLED no mercado. Trata-se de uma variação do LED clássico, mas onde a camada de emissões é um componente orgânico.

As telas OLED têm a vantagem de não necessitarem de iluminação traseira, poupando assim mais energia do que qualquer alternativa. Além disso, o seu custo é ainda menor. No entanto, o seu tempo de vida não é tão boa como as das outras tecnologias anteriores que lhe foram apresentadas.